Matéria
Bob Dylan e o Nobel de Literatura

“I consider myself a poet first and a musician second. I live like a poet and I’ll die like a poet.”
Bob Dylan

bob-dylan

 

Compositor é poeta e sua composição, poesia. Por quê não seria? Obviamente nem todo compositor é poeta e nem toda composição, poesia. Há letras sofríveis que nem mesmo a música a ajuda em seu desastre.

Bem, mas o Nobel achou que não é o caso de Bob Dylan. E daí não vejo porque da polêmica sobre letra de música ser ou não, Literatura. Aqui cai na questão das tradições que as sociedades perpetuam. Paradigmas que engessam a fórmula.

Que se bata o martelo na qualidade, aí, concordo. Mas não precisamos perpetuar paradigmas como este de que ”letra de música não é poesia”. Tanto é que o Nobel resolveu inovar.

Obviamente, acho válido os questionamentos sobre a qualidade das letras de Bob Dylan a ponto de ganhar um Nobel. Embora seja uma questão subjetiva, mas nem tanto assim. Há condições técnicas para julgar. Particularmente, acho que na categoria Literatura, outros mereciam mais do que ele mas, este é outro ponto da questão que não é objetivo deste breve post.

De qualquer forma, o Nobel nem é brasileiro, é uma premiação europeia. Tem suas decisões baseadas em seus comitês suecos e noruegueses e como toda instituição de premiação, supomos  ter critérios para além do que podemos ter acesso. Principalmente se as motivações do Nobel forem políticas, como alguns opinam.

O Nobel ainda é um prêmio importante. Mas quantos gênios da Literatura existiram em uma época em que não havia premiações? Que sequer foram reconhecidos em vida, sendo somente após suas mortes? E quantos viveram e vivem sem tais prêmios, tendo condições para ganhá-los mas não foram contemplados? Em cada competição, muitos dos indicados acabam não levando o prêmio, pois apenas um é contemplado.

Mas se tem uma coisa que prêmio algum dará ao artista, é talento. Prêmios são válidos e quem não os almejaria? Mas para um verdadeiro artista, isto de certo é apenas um detalhe. Não é o prêmio que faz o artista. Pelo contrário.

Vamos de Bob Dylan?

A Hard Rain’s A-Gonna Fall

Oh, where have you been, my blue-eyed son?
Oh, where have you been, my darling young one?
I’ve stumbled on the side of twelve misty mountains,
I’ve walked and I’ve crawled on six crooked highways,
I’ve stepped in the middle of seven sad forests,
I’ve been out in front of a dozen dead oceans,
I’ve been ten thousand miles in the mouth of a graveyard,
And it’s a hard, and it’s a hard, it’s a hard, and it’s a hard,
And it’s a hard rain’s gonna fall.

Oh, what did you see, my blue-eyed son?
Oh, what did you see, my darling young one?
I saw a newborn baby with wild wolves all around it
I saw a highway of diamonds with nobody on it,
I saw a black branch with blood that kept drippin’,
I saw a room full of men with their hammers a-bleedin’,
I saw a white ladder all covered with water,
I saw ten thousand talkers whose tongues were all broken,
I saw guns and sharp swords in the hands of young children,
And it’s a hard, and it’s a hard, it’s a hard, it’s a hard,
And it’s a hard rain’s gonna fall.

And what did you hear, my blue-eyed son?
And what did you hear, my darling young one?
I heard the sound of a thunder, it roared out a warnin’,
Heard the roar of a wave that could drown the whole world,
Heard one hundred drummers whose hands were a-blazin’,
Heard ten thousand whisperin’ and nobody listenin’,
Heard one person starve, I heard many people laughin’,
Heard the song of a poet who died in the gutter,
Heard the sound of a clown who cried in the alley,
And it’s a hard, and it’s a hard, it’s a hard, it’s a hard,
And it’s a hard rain’s gonna fall.

Oh, who did you meet, my blue-eyed son?
Who did you meet, my darling young one?
I met a young child beside a dead pony,
I met a white man who walked a black dog,
I met a young woman whose body was burning,
I met a young girl, she gave me a rainbow,
I met one man who was wounded in love,
I met another man who was wounded with hatred,
And it’s a hard, it’s a hard, it’s a hard, it’s a hard,
It’s a hard rain’s gonna fall.

Oh, what’ll you do now, my blue-eyed son?
Oh, what’ll you do now, my darling young one?
I’m a-goin’ back out ‘fore the rain starts a-fallin’,
I’ll walk to the depths of the deepest black forest,
Where the people are many and their hands are all empty,
Where the pellets of poison are flooding their waters,
Where the home in the valley meets the damp dirty prison,
Where the executioner’s face is always well hidden,
Where hunger is ugly, where souls are forgotten,
Where black is the color, where none is the number,
And I’ll tell it and speak it and think it and breathe it,
And reflect it from the mountain so all souls can see it,
Then I’ll stand on the ocean until I start sinkin’,
But I’ll know my song well before I start singin’,
And it’s a hard, it’s a hard, it’s a hard, it’s a hard,
It’s a hard rain’s gonna fall.

Comente via Facebook

Comente via Facebook

About the author

Paulistana; gosta de escrever, dias nublados, leituras densas, música, cinema e gastronomia.

2 Comentários

  1. Chronosfer

    Mais que justo, Dylan é um poeta que mexeu com as estruturas da sociedade e do pensamento norte-americano e do mundo ao musicar cada um dos seus escritos. Texto perfeito. Meu abraço, Lílian.

    • Lilian Lima

      Bob Dylan é singular e tem lugar garantido sempre! Obrigada, Fernando! Abraço!

Deixe um comentário

Arquivos
Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por email.

Seguir modo abstrato
%d blogueiros gostam disto: