Minicontos
Oráculo / Diálogos de um flâneur operário

buildings-123780_1280

Da série Diálogos de um flâneur operário: minicontos.

 

ORÁCULO

 

— Por fim, o que se quer, é que a vida faça sentido ao menos uma fração de segundo; para que compense a existência.

— E quem pode dizer que conseguiu isto, Pablo?!

O som do trânsito ali próximo, chicoteava de vez em quando o ouvido deles em meio ao burburinho dos passantes apressados, e o ganido de um cão de rua carcomido; enxotado do bar pela décima vez.

Pablo acendeu um cigarro e quedou-se mudo a desfrutá-lo. O homenzinho desviou dele seus olhos miúdos para o céu, como se pudesse profetizar à vida.

— É… Lá vem chuva… — Disse ele.

Comente via Facebook

Comente via Facebook

About the author

Paulistana; gosta de escrever, dias nublados, leituras densas, música, cinema e gastronomia.

Deixe um comentário

Arquivos
Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por email.

Seguir modo abstrato
%d blogueiros gostam disto: