FICÇÃO CIENTÍFICA
O FIM DA ETERNIDADE / ISAAC ASIMOV

tumblr_lfqymmmQXk1qfzutqo1_1280

O Fim da Eternidade é um clássico do gênero literário Ficção Científica (sci-fi ou SF) que dispensa maiores comentários; tanto a obra quanto seu autor, Isaac Asimov.

Esta resenha se faz desnecessária para os fãs do gênero e para os quais será simplória. Mas que aos que não são muito chegados em ficção científica,  talvez valesse a pena dar uma chance à obras desse gênero. Pois o que muda? Elementos narrativos. De resto, as grandes questões, as pequenas questões, os aspectos da existência humana, suas problemáticas, a dor, as paixões, a luta pela sobrevivência, são as mesmas.

As mesmas questões compõem o pano de fundo destas estórias que acabam não sendo tão fantásticas ou absurdas assim. Basta ver o quanto destas coisas ‘absurdas’ tornaram-se realidade nos dias de hoje. Tudo bem, ninguém viaja no tempo nem usa o teletransporte para chegar ao trabalho. Mas pensar sobre isto é bem instigante e nos remete a outras questões e possibilidades. Mas não nos parece mesmo que a ficção auxiliou a ciência? Por que, não?! Sem imaginação a ciência só poderia descobrir coisas ao acaso. Isto seria um desastre e um atraso. Daí talvez o termo: cientista maluco?

Alguém pode dizer que não gosta de ficção científica porque a linguagem é diferente. Sim, mas é uma questão passageira. Tão logo você quebre a resistência diante de termos e tencnicismo que aparentemente soam ‘chatos’ de acompanhar, a mágica acontece e somos imergidos nas estórias.

Em O Fim da Eternidade eu diria que a premissa é simples: um amor e coragem para recomeçar. Mas isto fica camuflado em meio a viagens no tempo, explicações cientificas, que podem fazer sentido ou não; depende do quanto se conhece de ciência. Mas isto é o de menos. Em uma ficção tudo faz sentido dentro daquele universo. Ao menos quando o(a) escritor(a) ou roterista (no caso de filmes) faça um bom trabalho, claro. Há ficções que não são críveis por não serem bem construídas mas isto não é um problema do gênero ficção científica, pode ocorrer com qualquer outro.

Mas atrelada a esta simples premissa: um amor e coragem para recomeçar, há uma grande responsabilidade humana. A de recriar ‘um novo Adão’ e ‘uma nova Eva’ a construção de ‘uma novo mundo’ pois este, não deu certo. Somado a tudo isto, uma das grandes questões da humanidade: deuses existem? Eles interferem em nossas vidas? Quem são eles?

O protagonista da história, Harlan, é um Eterno que foi treinado para observar a realidade. A realidade é alterada toda vez que os Eternos interferem nela. A simples mudança de um objeto de lugar em uma realidade, pode alterar outras realidades. E isto inclui nascer e morrer.

”[…] Então, exatamente dezessete pessoas, em diversos Séculos, vão se curar este mês. — E o que acontece? Os Séculos ficam felizes? De jeito nenhum. Um homem se cura e uma dúzia no mesmo país, no mesmo Tempo, não. Todo mundo diz ”por que só aquele?”. Talvez os sujeitos que não foram tratados tenham melhor caráter, talvez sejam filantropos de bochechas coradas, amados por todos, enquanto que o homem que curamos mataria sua mãe idosa, sempre que tem tempo livre depois de bater nos filhos. Eles não sabem sobre as Mudanças de Realidade e não podemos contar para eles.”

Isto é filosofia! Uma questão que não encontra lugar a ser pensada fora dela. Ficção científica é um gênero bem mais profundo do que sua linguagem fria e tecnicista pode nos supor.

 

 

 

 

Comente via Facebook

Comente via Facebook

About the author

Paulistana; gosta de escrever, dias nublados, leituras densas, música, cinema e gastronomia.

8 Comentários

  1. Barbara M.

    Eu gosto tanto do seu blog e ele nunca aparece no meu feed, sendo que eu te sigo 🙁

    • Lilian Lima

      Oi Bárbara!! Me alegro em saber que gosta do blog 😀 Sobre este problema, ele apareceu depois que mudei para (.com). Eu tb. não consigo ver quem me segue e muitos do que sigo não aparecem mais para mim tb. Já tentei resolver mas até agora não consegui. 🙁

  2. Chronosfer

    “Isto é filosofia! Uma questão que não encontra lugar a ser pensada fora dela. Ficção científica é um gênero bem mais profundo do que sua linguagem fria e tecnicista pode nos supor.” Essa tua última frase é definitiva. uma verdade muito bem expressa. o meu abraço, Lilian.

    • Lilian Lima

      Obrigada, Fernando 🙂 Um abraço pra ti também.

  3. Lilian Lima

    Haha. Sabe aquela lista de livros que a gente sempre quis ler mas nunca leu? Este fazia parte da lista, hehe. Adorei. Sensacional. Abraço e obrigada por comentar.

  4. mariel

    Já li, mas vendo teu post, deu saudade. Vou ler outra vez

Deixe um comentário

Arquivos
Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por email.

Seguir modo abstrato
%d blogueiros gostam disto: