Filosofia
Uma breve história da Filosofia

Uma Breve História da Filosofia faz o leitor ‘engatinhar’ na filosofia com sua linguagem simples.

Professor de filosofia, Nigel Warburton; autor do livro.

Existem algumas coisas que só de ouvirmos falar nos causam aversão. Filosofia parece ser uma delas para alguns. Afinal, o tempo urge e ler sobre filosofia ou dedicar-se ao assunto estudando-a propriamente, seria perder este tempo que nos é tão precioso em gastarmos em nossa sobrevivência, outros conhecimentos e prazeres. Pois por que perderíamos tempo em ler ideias ultrapassadas se a ciência já superou muitas delas? Por quê querer saber sobre um grupo de ‘malucos’ que viviam a pensar sobre o ser e o nada, por exemplo? E o que a filosofia atual tem a contribuir em nossa existência?

Me parece que há tantos equívocos nestes pensamentos mas não vem ao caso discorrer sobre eles no momento; a não ser dizer apenas que talvez deveria-se tentar achar estas respostas não é mesmo?

Uma Breve História da Filosofia tenta responder a estas perguntas enquanto ao mesmo tempo, apresenta as principais ideias de alguns filósofos importantes da antiguidade aos nossos tempos. Ele abre o livro com os filósofos gregos Sócrates e Platão e termina com Peter Singer; um professor e filósofo australiano nascido em 1946; hoje com 69 anos.

Alguns estudiosos de filosofia não aconselham iniciar os estudos filosóficos com bases simplórias pois seriam dois trabalhos a se fazer. Por outro lado, talvez algumas pessoas optem por isto e neste caso, Uma Breve História da Filosofia do professor de filosofia, o inglês Nigel Warburton, cumpre bem esta função de facilitar o acesso; embora outros filósofos poderiam por em xeque a própria visão do autor sobre o cerne das questões filosóficas apresentadas. Pois em filosofia tudo deve ser esquadrinhado.

Mas é um livro em que a leitura flui e seduz o leitor a querer se aventurar no conhecimento da filosofia; seus pensamentos e seus pensadores. Embora quem já esteja interessado no assunto será sempre suspeito. Mas de qualquer forma, não é um livro que enfadaria o leitor por causa de seu conteúdo como esperado talvez por alguns que visse o livro exposto em uma livraria física ou virtual.

O homem que perguntava

”De nariz achatado, rechonchudo, malvestido e um pouco estranho, Sócrates era um sujeito deslocado. Embora fosse feio e não tomasse banho com frequência, ele tinha um grande carisma e uma mente brilhante […] Ele era único. Mas também era extremamente inoportuno. Ele se considerava um daqueles insetos de picada dolorosa, um moscardo. São irritantes, mas não causam danos tão sérios. No entanto, nem todos em Atenas concordavam com isso. Alguns o amavam; outros o consideravam uma influência perigosa”

”Para Sócrates, a sabedoria não era ter o conhecimento de diversos fatos ou saber como fazer algo. A sabedoria significava entender a verdadeira natureza da nossa existência, inclusive os limites o que podemos saber […] O que fazia de Sócrates tão sábio era o fato de continuar fazendo perguntas e de estar sempre disposto a deter suas ideias. A vida, declarava ele, só vale a pena ser vivida quando pensamos no que estamos fazendo. Uma existência sem análise é adequada para o gado, mas não para os seres humanos”

Uma Breve História da Filosofia não é um livro suficiente para ter-se conhecimento de filosofia. Nenhum livro na verdade o é. Aos interessados a se aprofundarem nos estudos desta matéria, a obra não corresponde a estes anseios. Como dizem, ele dá apenas uma ‘pincelada’ nos assuntos. Mas é também um livro com histórias bem contadas em um estilo narrativo um tanto romantizado. Portanto tem esta dualidade de que se o conteúdo em si não corresponder as espectativas, vale pelas boas histórias.

 

 

 

Comente via Facebook

Comente via Facebook

About the author

Paulistana; gosta de escrever, dias nublados, leituras densas, música, cinema e gastronomia.

Deixe um comentário

Arquivos
Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por email.

Seguir modo abstrato
%d blogueiros gostam disto: