Literatura Americana
Contos de Imaginação e Mistério

Em Contos de Imaginação e Mistério tem-se uma amostra da escrita do famoso escritor gótico.

Edgar-Allan-Poe.-©uso-publico1

Segunda edição de Contos de Imaginação e Mistério do selo Tordesilhas (2015), traz apenas dez contos e é apropriada para quem quer ter contato pela primeira vez com o autor.

Em 1919, uma antologia de contos de Edgar Allan Poe foi lançada pela editora londrina George G. Harrap & Co.  A edição contava com as ilustrações de Harry Clarke (1889-1931), ilustrador que costumava ilustrar as estórias de Poe. Pela capa do livro, temos uma ideia destas ilustrações belíssimas e instigantes aos mais variados sentimentos. No Brasil, esta mesma edição foi lançada em 2012 pelo selo Tordesilhas  acrescentado à ela, um posfácio de Charles Baudelaire (1821-1867).

Nesta segunda edição da Tordesilhas, são apenas dez contos em brochura. Há as ilustrações mas já de pronto – independente da edição -, diria que não é boa ideia folhear o livro, já que as ilustrações de Harry Clarke podem conter spoilers sobre as estórias.

A edição de 2015 traz: O poço e o pêndulo; O gato preto; O coração denunciador; Uma descida no Maelstrom; O barril de amontillado; A máscara da Morte Vermelha; O encontro marcado; A queda da Casa de Usher; Os assassinatos da Rue Morgue; O mistério de Marie Roget.

São contos de variados tons. Macabros; sobrenaturais; trágicos; misteriosos, e os dois últimos – Assassinatos na Rua Morgue e O mistério de Marie Roget, são do gênero policial propriamente. O último conto – O mistério de Marie Roget -, não é tão interessante pois a narrativa toma ares de uma investigação de fato e não se tem um enredo. O narrador divaga em conjecturas complexas sobre um crime, que aliás, de fato ocorreu. Poe, que acompanhara as manchetes dos jornais sobre o crime, o ficcionou. Estes dois contos policias aliás fazem parte de A Trilogia Dupin. Mas nesta edição de contos não foi publicado o terceiro conto: A carta roubada.

Dupin é um personagem excêntrico dado à investigações por ter um grande talento fora do comum para desvendar mistérios. Porém, não é detetive, nem policial. É um personagem que inspiraria o surgimento de outros personagens detetives como Sherlock Holmes, por exemplo. Inclusive estes são muito parecidos. Desta trilogia, apenas A carta roubada não faz parte deste livro de contos.

Os demais contos são muito bons e a escrita de Poe por tratar-se de horror, é admirável ser uma escrita poetica e elegante. Não rebuscada nem simplória.  Poe iniciou como escritor escrevendo poemas e sem sucesso, há quem diga que o estilo gótico foi seguido pelo modismo da época e pelo qual conseguiu projeção. Por outro lado, sua própria vida sombria pode ter influenciado suas estórias.

Abaixo, trechos de alguns dos contos:

O poço e o pêndulo

”Aquele que jamais faleceu, não é ele que encontra palácios estranhos e rostos pertubadoramente familiares nas brasas incandescentes; não é ele que contempla, flutuando em pleno ar, as tristes visões que à maioria são vedadas; não é ele que pondera sobre o perfume de alguma flor incomum – não é ele cujo cérebro fica mais e mais atônito  com o significado de alguma cadência musical que nunca antes prendeu sua atenção”

O Gato Preto

”Em momentos como esse, embora desejasse com todas as forças matá-lo de um só golpe, eu era contudo impedido de fazer, em parte pela lembrança de meu antigo crime, mas principalmente – que eu o confesse logo de uma vez – por absoluto pavor da criatura.”

O Barril de Amontillado

”Fique bem entendido que nem por palavras, nem por atos deixei a Fortunato motivo para duvidar de minhas boas intenções. Continuei, como de costume, a sorrir em sua presença, e ele não percebeu que meu sorriso agora era com o pensamento de sua imolação.”

A Máscara da Morte Vermelha

”Há cordas nos corações dos mais negligentes que não podem ser tocadas sem despertar emoção. Mesmo para os irremediavelmente perdidos, para quem a vida e morte são igualmente pilhérias, há assuntos sobre os quais nenhuma pilhéria pode ser feita.”

Edgar Allan Poe é lembrado como um autor da literatura gótica. Influenciou outros escritores como, por exemplo, Conan Doyle, Agatha Christie, G. K. Chesterton Jorge Luis Borges e outros gêneros literários como a fantasia.

Além de escritor, Poe era crítico literário e ao que se sabe, também muito competente neste ofício. Nem por isto, deixou de ter suas obras igualmente criticadas. Criticado por uns, elogiado por outros; o fato é que Edgar Allan Poe fez nome e resistiu ao tempo deixando um legado; sua marca na literatura mundial.

 

 

 

Comente via Facebook

Comente via Facebook

About the author

Paulistana; gosta de escrever, dias nublados, leituras densas, música, cinema e gastronomia.

2 Comentários

  1. Júlio (Ebrael)

    Poe é incrível. Não sei qual é o mais “bizarro”, se esse ou “Histórias Extraordinárias”. Mas, definitivamente, “Dream Within a Dream” é quase u mantra. Para mim e minhas reflexões “ordinárias”. 😀

    Bjss, Lilian!

    • Lilian Lima

      Realmente é lindo este poema. Também gosto, Júlio!! Alguns contos de Histórias Extraordinárias acho que se repetem nesta outra edição. Abraço! 🙂

Deixe um comentário

Arquivos
Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por email.

Seguir modo abstrato
%d blogueiros gostam disto: