Literatura Russa
NOTAS DO SUBSOLO

Como todo livro de Dostoiévski, Notas de Subsolo trata das questões humanas. Nesta obra, ele mergulha fundo nas angustias do homem através de um personagem, o qual não tem nome. A escrita é em primeira pessoa, intensa e profunda. Como um fluxo de consciência do personagem. O ‘homem do subsolo’ tem quarenta anos. Ele recebe uma herança, pede demissão do emprego e se isola em seu subsolo em companhia apenas de seu criado. A quem odeia mas o mantém.

”Eu sou um homem doente… Sou um homem malvado. Sou um homem desagradável”.

Estas são as primeiras palavras que ele escreve. Depois, segue de uma forma desnuda a falar sobre si. Propositalmente, se contradiz a todo instante como um jogo, um exercício mental a ele mesmo, e ao leitor.

”Fui um funcionário muito ruim. Era grosseiro e tinha prazer em sê-lo (….) Menti antes, quando disse que tinha sido um mau funcionário. Foi por despeito que menti…”

Ele também começa um assunto e muda para outro de repente. Faz isto todo o tempo. Mas ao invés de confusão, isto nos deixa em êxtase e não conseguimos parar a leitura. Queremos seguir seu raciocínio como a seguir uma trilha misteriosa. Uma trilha que parece não ter direção certa mas que nos imerge para dentro dela.

”Entretanto – estou firmemente convencido -, a consciência, toda consciência é uma enfermidade”.

Depois da primeira parte em que ele discursa sobre si mesmo e os outros seres humanos, ele fala de sua vida fora do subsolo e das humilhações que passa. Coisas como passar por pessoas mais importantes que ele e ter que ceder o lugar na calçada pois os mesmos nem se movem e isto o atormenta. De modo que planeja uma vingança sobre isto, onde não cederá a passagem quando der de cara com uma certa pessoa em particular. Um certo oficial com ares de superior pelo qual ele nutre imenso ódio.

Mais a frente ele procura alguns ex-colegas de faculdade que ja estão bem encaminhados na vida só para torturar-se e depois se envolve com uma prostituta (Liza) que apaixona-se por ele. Mas então, ele mostra sua natureza contraditória.

Notas do Subsolo é um livro existencialista. Aliás, dizem que Dostoiévski é o pai do existencialismo. Suas obras, juntamente com a de outros escritores (e filósofos) da época, são a base para o surgimento do Existencialismo.

Comente via Facebook

Comente via Facebook

About the author

Graduada em Comunicação Social (Rádio e Televisão) com habilitação em roteiro. Paulistana. Gosta de dias nublados, leituras densas, música, cinema, gastronomia, e escrever.

1 comentário

Deixe um comentário

Arquivos
Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por email.

Seguir modo abstrato
%d blogueiros gostam disto: